Compreenda as necessidades da sua empresa.

A empresa precisa ser melhor compreendida pelo seu administrador, este é um fato, mas não querer ajudá-la é uma maldade para ambos.

O problema está em que a cada dia parece ser mais evidente a falta de tato de uma para com o outro, pois grande parte dos proprietários não sabe o que fazer quando o negócio sofre, por exemplo, com uma dor de cabeça, digo, falta de recursos financeiros, e acaba deixando a cura por conta do tempo.

Aproxime seu Netbook, vamos trocar nossos conhecimentos.

Se um negócio começa a não atrair mais clientes como antes, e conseqüentemente o faturamento despenca morro abaixo, qual pode ser o diagnóstico?

Problemas com o atendimento, incompatibilidade dos produtos ou serviços com as prioridades dos clientes, preços de venda pouco atraentes, os concorrentes ficaram mais agressivos, pode ser tudo isto, um deles, ou nenhum destes itens, porém algo está acontecendo e deve ser feito.

Quando o espírito empreendedor se congela, mesmo que temporariamente, os empregados e proprietários não se permitem mais perceber as necessidades e desejos dos seus clientes, na verdade, ninguém mais tem tempo de atender e praticar a comercialização, apenas se faz a venda, assim, sem emoção e sem comprometimento.

E se o capital de giro desaparece? A necessidade de captar periodicamente recursos nas entidades financeiras aumenta, e o dia a dia de luta para cumprir os compromissos com fornecedores fica assustadoramente angustiante, o que está acontecendo?

O empresário, muito provavelmente, não utiliza ferramentas como o fluxo de caixa, ou pior, a sua alimentação é incompleta e inconsistente, comprometendo perigosamente as análises do negócio e as tomadas de decisões em relação às compras, prazos de pagamentos e de recebimentos, adiantamentos de recebíveis, como, o desconto de cheques, ou a antecipação dos cartões de crédito.

A falta de competitividade financeira, principalmente quanto aos preços de produtos e serviços, está afastando sistematicamente a empresa dos seus clientes, e afugentando outros possíveis consumidores?

Isto é terrível, mas a empresa deve ter adotado o número mágico 2 como multiplicador do custo dos produtos e serviços, ou seja, anda com uma caixa preta debaixo do braço, onde a margem de lucro está camuflada por detrás de um número, escondendo a possibilidade de realizar a precificação, que é a adequação dos preços à realidade e os limites da empresa e do mercado.

Mas a situação do coração do negócio, ou melhor, o lucro? Ele está funcionando a contento, ou está fraco quase parando?

Assim como o exame periódico, que devemos fazer da pressão arterial, batimentos cardíaco, nível de colesterol, a empresa também necessita reconhecer sua condição, além de física, também a financeira.

O demonstrativo de resultados do exercício em conjunto com o fluxo de caixa, são ferramentas indispensáveis para o monitoramento do coração, digo, do negócio.

Cuide de você e do seu negócio, tenha o hábito de realizar exames periódicos, para ambos, pois a prevenção continua a ser o melhor remédio.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s